Páginas

sábado, 5 de outubro de 2013

NÃO LEVE DESAFORO PARA CASA


Você conhece alguém que é impulsivo com as palavras, que é exacerbado na reação, que não leva desaforo pra casa, que é considerada barraqueira? Então...

Eu ando bastante de transporte coletivo (ônibus, trem e metrô) e fico observando como as pessoas infelizmente estão absorvendo a cada dia mais o pensamento expresso naquele ditado “Pago para não entrar em uma briga, mas pago o dobro para não sair dela”. São pessoas estressadas, irritadas. Parece que a primeira coisa que fazem no dia é pintar o rosto como se estivessem se preparando para a guerra (Tipo Rambo mesmo, sabe?!). E, mano, o sistema está todo estruturado para te transformar em alguém pronto para uma verdadeira batalha, mesmo que você seja uma pessoa naturalmente pacífica. Repare em como as pessoas te parabenizam quando você conta uma situação em que ‘não deixou barato’. Às vezes tenho a equivocada impressão de que a paz está fora de moda.

Um tempo atrás eu estava dando uma sapeada na bíblia e parei em Romanos 12. Comecei a ler e meditar, até que o Espírito Santo me chamou a atenção para os versículos 17 e 18:

“Não paguem a ninguém o mal com o mal. Procurem agir de tal maneira que vocês recebam a aprovação dos outros. No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas.” (Romanos 12:17-18)

Esse versículo é de tão fácil compreensão, porém, em muitos casos, de difícil aplicação. Você pensa consigo mesmo “Eu não vou me estressar, não vou explodir, não serei grosseiro com ninguém, mesmo que fiquem me esmagando no transporte coletivo”, mas então, eis que surge uma situação em que você parece olhar para o céu e falar: “Essa situação tá pedindo, Senhor!” É nesse momento que damos lugar a nossa natureza humana pecaminosa e somos grosseiros, ríspidos ou indelicados com alguém.

Sempre me disseram que sou muito calmo, que sou tranquilo e tal, mas mesmo eu, em várias situações, já me irritei e perdi as estribeiras por aí. E quando isso acontece, a gente tem que buscar perdão em Deus e também junto à pessoa envolvida. Ou seja, você acaba percebendo que não compensa ‘extravasar’ na hora da irritação.

Quanto a esse assunto, o Espírito Santo tem me ensinado algo: DESAFORO NÃO DEVE SER LEVADO PARA CASA, PORQUE DESAFORO NÃO DEVE SER ABSORVIDO! As provocações estão por aí nos rodeando o tempo todo, mas cabe a nós, com a ajuda do Espírito Santo, filtrar o que absorver e o que rejeitar.

Enquanto nós estivermos cheios do Espírito Santo, mesmo que recebamos desaforos, não os devolveremos da mesma maneira, e sim faremos como está descrito no versículo 21:

“Não deixem que o mal vença vocês, mas vençam o mal com o bem.” (Rm.12:21)

Deus os abençoe! Abraço!


Twitter: Clique aqui
Facebook: Clique aqui

Fábio Cardoso, via O Jovem e o Mundo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário